sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Note to Self


Deixar de fazer coisas que me dão mais trabalho que o meu próprio trabalho e que não me dão dinheiro nenhum!

Um ou dois?

Voltou a acontecer ontem. "Um ou dois beijinhos", perguntou o senhor? "Como preferir", ri-me eu. "Em Portugal são dois", remata o outro senhor.

Ora bem, cá para mim dá-me ligeiramente igual. Eu sinceramente acho que só um chega, mas percebo que as pessoas dêem dois. Só gosto que me avisem (há pessoas que dizem 'dois', baixinho, quando nos cumprimentam, e eu acho isso simpático, porque se não ficamos pendurados).

Por norma, dou um e um abracinho. Às pessoas que sei que dão dois, dou dois e pronto. Mas realmente: para que é que damos dois beijinhos? Um não chega?!

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Em modo TGV


08h30- Despertador toca;
09h50 -  Saímos de casa;
10h10 - Ligar computador, tomar café, get ready:

Entrevista
Responder a mails
Atender telefones
Escrever um comunicado
Procurar 10.000 contatos
Enviar comunicado

Paginar com a V.
Sair a correr
Ver casa
Almoço
Voltar ao jornal
Responder a mails
Enviar indicações para um cartaz
Atender telefones
Começar a escrever
Repaginar
"Afinal tens mais uma página para fazer"
Continuar a escrever
"Olha, e tens também a outra"
Atender telefone
Marcar coisas na agenda
Receber amigo-que-não-se-vê-há-mil-anos e nos veio fazer um favor (e gastar 45min com a brincadeira)
Voltar a subir as escadas.
Retomar a escrita
"Consegues fazer tudo?"
"Se não me interromperem mais"
Despachar duas páginas em uma hora e meia
Atender telefone
Fazer telefonemas
Responder a mais mails

19h56 - Preparar para desligar tudo e sair. E continuar a saga na casa da mana mais velha.

Depois não me digam que os dias não chegam para tudo. Experimentem ter um dos meus que aprendem a gerir o tempo que é uma maravilha!



Culture time #1

De Flamencas

Quinta-feira vamos sair mais cedo, esquecer que o mundo existe, e dedicarmo-nos à cultura. Que o flamenco vem a Lisboa e nós temos que voltar a dedicar-nos à cultura!

Casas #1

A sério que alguém acha que eu vou alugar um apartamento que tem gordura em todos os cantos? Acreditam piamente que a melhor forma de me dizerem que aquela pode ser a minha futura casa é apresentarem-me um fogão com bocadinhos de massa ressequida e um forno que de cinzento passou a castanho de gorduroso?


quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Two days and counting..

Imagem retirada da Internet

A minha semana tem sido um tormento. O final de semana foi muito muito bom, mas uma correria - entre sobrinha, cabeleireiro, catering, quinta, organização de jantares e mimos da mãe - o que fez com que começasse a semana já a querer mais dois dias de descanso.

Durante estes três dias, a minha agenda foi, basicamente, uma mancha negra. Muitas coisas marcadas, umas em cima das outras. O telefone decidiu não dar tréguas. Os emails, então, têm inundado a minha caixa de emails como se não houvesse amanhã. E, sabe-se lá porquê, as fontes de repente decidiram falar comigo todas durante as mesmas 72 horas, o que exigiu uma concentração sobre-humana em alguns momentos.

No meio disto ainda teve que haver um tempinho para as amigas, os amigos e claro, os amores - e o Tomate decidiu adoecer, o que também não ajudou lá muito, mas..oh well. No meio disto tudo ainda estou a ajudar a organizar um jantar de solidariedade (onde também vou cantar, se bem que ainda não descobri como vou arranjar tempo para ir às aulas e para ensaiar).

No entanto, hoje consegui sentar-me duas horas. E de repente apercebi-me de que no meio do caos que foram estes dias, ainda consegui decidir uma quantidade de coisas: os brincos estão escolhidos; os acessórios de cabelo praticamente decididos; a pulseira também já está debaixo de olho; já há fotógrafo; já acertámos os detalhes com o Dj; já falámos da ementa; já agendei a ida ao atelier onde vou mandar fazer os sapatos....

E às vezes acho que vou morrer. Outras só que os meus dias devem ter mais 12 horas que os das outras pessoas. Não sei como consigo fazer tudo...

Mas bom. Só faltam dois dias para mais um final de semana.



Socorro

Alguém pode acabar com esta semana? I mean: right now?

Grata!!

Prioridades

Pensar no próximo ano assusta-me. Absurdamente. E portanto o ideal é seguir o conselho do L. - assim consiga.

1. Foco no big-sweet-important-wedding
2. Aproveitar a lua-de-mel
3. Aproveitar as energias recarregadas para avançar com os projetos [em fase de planeamento]

E se daqui a seis meses - que me parecem uma eternidade - eu ainda estiver sã, aplaudam.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Seis casas

Numa semana.

Depois não havemos de estar confusos. Lord!

Nós vamoooooooos!

[se eu o conseguir convencer;)] 



O do Verão foi divertidíssimo. E este, de tintos, tem tudo para ser melhor ainda...

Viajar

Não há nada melhor do que viajar. Conhecer lugares novos, revisitar aqueles que nos ficaram, por alguma razão, no coração, passear com as pessoas de quem gostamos por ruas que por norma não calcorreamos. É só assim que alargamos horizontes, que aumentamos a nossa sede de conhecer e ser mais. Este ano fiz umas quatro viagens. E soube-me a tão pouco, ainda assim...

Madrid - Março 2012
O ano que vem vai ser, eventualmente, bastante mais comedido em termos de saídas. O que vai ser uma maçada porque temos mil destinos para conhecer e outros tantos onde voltar. Uma maçada, é o que vos digo.

[Vamos concentrar-nos agora no roteiro da 'big trip' 2013 para ver se nos animamos :D]

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Às mulheres!

Copacabana 2011
As mulheres são uma força da natureza. Hoje, quando lia as palavras da Carolina, recordava-me daquilo que, também nós, passámos juntas. [A vida tem destas coisas curiosas. Vai-nos metendo as pessoas que importam no caminho, na hora certa, no cruzamento certo.] E pensava isso mesmo: as mulheres são uma força da natureza.

Já dei por mim a pensar que devemos ter um coração de borracha. Porque se alarga às paixões, aos amores, distende-se como se nele coubesse o mundo e de repente é destruído em menos de nada. É espezinhado, amolgado e deitado no chão. E logo depois, volta a inchar, devagar, muito devagarinho. Retoma a forma original e, de repente, sente-se novamente pronto para voltar a inflar, a distender-se, como se nele coubesse, de novo, todo o mundo.

E nisso, o nosso coração é muito maior e mais forte que o deles - desculpem, meninos. Porque por noema também se entrega mais. Sofre mais. E recupera mais.

As mulheres têm uma capacidade incrível de se reiventar a cada amor passado. E enquanto ele não passa, usam todos os artefactos para se mostrarem mais fortes do que muitas vezes são, na sua génese. Saem do armários os saltos altos, toda a maquilhagem, a roupa mais arrojada e o sorriso mais rasgado. Durante o dia são eles quem mandam. Depois, à noite, na casa vazia, as lágrimas começam assim que a porta se fecha e raramente param antes de um adormecer agitado. Há noites com sonhos, com muitos sonhos, e quase nada de descanso.

E o ciclo repete-se e repete-se. Até que há um dia em que o sol, lá fora, parece que volta a brilhar. O esforço das amigas resultou, finalmente, e todo um mundo que parecíamos ter esquecido volta a ressurgir. As viagens voltam a ganhar sabor, os jantares fora fazem todo o sentido e o trabalho deixa de ser um escape para ser aquilo que [também] nos faz feliz.

Rio de Janeiro, Nov 2011

Fazemos um esforço para voltar aos lugares de sempre, para fazermos mais e melhor, para crescer. Abrimos os braços a todo um mundo novo. E é geralmente no meio desse turbilhão de descobertas, que conseguimos descobrir mais uma: que somos capazes de amar novamente. Que o nosso coração já distendeu e está pronto para o que a vida pede de um amor daqueles capazes de mudar o mundo e mover montanhas.

Sim. As mulheres são uma força da natureza. E mesmo as que parecem mais fracas escondem uma força difícil de abalar. Por isso mesmo, hoje também sou eu quem brinda às mulheres. Com uma foto de um brinde entre mim e uma das mulheres que mais importante tem sido na minha vida.

A nós!

Rio de Janeiro, Nov 2011

Note to self


[Eu podia organizar casamentos. Juro. Modéstia à parte, eu tenho jeito para isto. Tenho dito. Eu podia organizar casamentos!]

Wedding dresses #2

Na foto? Lindo. No corpo?: Imaginem um pavão enfunado, mas de penas brancas. É isso..Uma pena. Mas uma desilusão...Este é mais um dos que eu nunca conseguiria usar!


good morning

domingo, 25 de novembro de 2012

UUUUAAAUUUUU

Acabei de me aperceber que para o ano tenho QUARENTA E UM dia de ferias!!!

Uuuuuuhhhuuuuuhhhh!!!!!

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Do casório #15

[eu sei, agora parece que estou em over compensation de textos sobre o mesmo assunto! Sorry]


Imagem retirada da Internet

Já temos something old, e já temos something new. Já temos something borrowed. E falta-me something blue! OH GOD!!

Noivinhas

Hoje é dia de almoço de noivinhas [ou como de repente nos vemos a usar todos os clichés dos quais garantimos nunca mas nunca fazer uso!]

E só vai haver vestidos, alianças, flores, cores e afins. Que a vida também é feita destas coisas...:)

Lisboa, 2011

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Do casório #14


Um obrigada sentido aos nossos padrinhos que nos ofereceram as alianças mais lindas do mundo :) Só falta mandar gravar e ficam lindas lindas à espera do grande dia (que no próximo ano o ouro vai ficar mais caro e nós somos pessoas poupadas!!).


terça-feira, 20 de novembro de 2012

Do casório #13

Vocês têm noção de quão caro é organizar um casamento? Entre flores, quinta, dj, fotógrafo, catering, convites, e e e..(porque há mil 'e' quentíssimas ser aqui escritos).

A sério! Têm?

Lord.

Que bem se esteve... em Amesterdão #4

Portanto, depois deste dia, a saga continuou nas ruas da capital holandesa. Mais uma noite de dez horas, mais um acordar revigorado e..supresa!!! NÃO ESTAVA A CHOVER. Ok, estava ainda mais frio que nos dia anterior, mas pelo menos não chovia. E o sol até espreitou. Ficámos tão felizes que nos despachámos a cumprir o programa do dia, que começou com um passeio pelos canais.

Pelo preço (11€ para uma hora) compensa muito muito. É a forma mais gira de se ver a cidade, completamente labiríntica, e passar por todos os lugares mais importantes. As viagens têm direito a uma espécie de audio-guide em inglês, holandês e alemão. E os barcos são extremamente quentinhos, o que ajuda ao conforto :p


Casa do Presidente da Câmara de Amesterdão (se não estou em erro)

Passámos por imensos canais, por imensas pontes e ainda por mais casas-barco (uma delícia). Foi uma viagem super divertida e interessante. Os barcos saem da Central Station e voltam para lá. Não deixem de fazer uma viagem (também há umas de duas horas com refeições e afins, mas vá, não e´preciso tanto :)

Uma das muitas pontes


Opera House vista do canal

Nesse dia planeámos também ir até à Casa de Anne Frank (imperdível se estamos em Amesterdão). A fila era gigante (45minutos para comprar bilhete) e portanto fomos buscar uns hot chocolat e fartámo-nos de rir a tentar adivinhar de onde era cada turista enquanto esperávamos. O museu disponibiliza, à volta do edifício, uma rede wireless que permite fazer uma 'visita guiada' pela casa da Anne enquanto esperamos. Vale a pena dar uma olhadela antes de entrar.



Não temos, obviamente, fotos da casa. Mas digo-vos que é impressionante e que ninguém devia deixar de lá ir. É verdade que não está mobilada. Que é basicamente um aglomerado de salas com muitas explicações e vídeos. Mas é, sobretudo, um legado vivo daquilo que foi o horror do holocausto. Tem algumas das fotografias mais bonitas que já vi na vida e tem uma carga emocional brutal. Eu, que sou uma mariquinhas, comecei a chorar na primeira sala e só parei na última. Oh well...Mas vão!, por favor. A entrada custa 9,50€.

Saímos de lá tristes e com um peso no coração. Portanto decidimos perder-nos pelas ruas do bairro, que é coisa que a nós nos apraz particularmente. Acabámos por chocar com a nova loja da Apple (e o pequeno quase que se emocionou), almoçámos (em jeito de lanche) no Burger King mais próximo e vimos uma quantidade de edifícios lindos e de bairros amorosos. Depois metemo-nos no metro e fomos jantar com uns amigos para desanuviar. E para aquecer que estava um frio que não se aguentava.

Amsterdão, Outubro 2012


Dica: Cuidado com as horas das refeições. Em Amesterdão almoça-se e janta-se muito cedo (12h00/18h00). Isto fez com que muitas vezes quiséssemos almoçar às 15h e pouco mais opções houvesse que os Burger King e McDonalds desta vida. Que não têm nada de mal, uma vez que são baratos e sabemos ao que vamos ;)





É Natal no Chiado

No Sábadoo Chiado estava assim. Para quem foi apanhado de surpresa, como eu, foi ainda mais divertido. Músicas de Natal, luzes e até neve artificial.

Jingó Beles, Jingó Beles...


Coro na varanda dos Armazéns e vista da rua Garret
A rua estava apinhada!
E havia neve e tudo!! <3

domingo, 18 de novembro de 2012

Sushi!

É então que os amigos nos oferecem leito
entra-se cansado e sai-se refeito
luta-se por tudo o que se leva a peito
bebe-se, come-se e alguém nos diz bom proveito.

 
Sushi by L.
Poucas coisas me têm feito tão feliz quanto reatar o contato com o querido L. Um amigo à séria. Ontem passámos um serão maravilhoso na companhia daquele que já é um dos casais que mais faz a diferença na nossa vida*

E o L. fez sushi. \o/


sexta-feira, 16 de novembro de 2012

HEEEEELP

Pensar numa folga daquelas bem boas: tempo para arrumar a casa, para tratar de mim, para ir às compras, passear. Deitar-me com essa boa sensação.

...

Acordar com um gato insuportável, com o vidro da patusca partido (sim, eu uso uma patusca me vez de forno), com metade de uma garrafa de detergente da roupa espalhada no chão, com um dia de chuva ininterrupta e com uma dor de cabeça descomunal.

E dizer a fatídica frase: acho que já nem vale a pena ter folgas.


quinta-feira, 15 de novembro de 2012

São Paulo #1

São Paulo, Novembro 2011
Às vezes, as saudades são tantas e tão fortes que as lágrimas são incontroláveis. Não sei a saudade é do tanto que passou ou do tanto que ainda poderia ser. Ou até mesmo do que um dia ainda será. Mas custa quase todos os dias...


Back to basics [que já é Inverno]

Mais de um ano depois de o ter experimentado, este continua a ser o meu favorito para o Inverno.
Risqué preto Fosco. Waht else?





Facto


You're never too classy or too well-dressed. Never.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Que bem se esteve...em Amesterdão #3

Depoisde uma primeira noite hiper revigorante em que dormimos dez horinhas num quarto über quentinho, preparámo-nos para a chuva que nunca pára de cair em Amesterdão, e lá fomos nós. Tal como expliquei em textos anteriores, eu sou pessoa que dispensa bem um pequeno-almoço de hotel (especialmente se ele me custa 7,50€ e não garante qualidade). Portanto, o Let's Go foi o nosso melhor amigo durante os cinco dias que lá passámos. Por 0,99€ (por 0,5l de leite) fazia-se a festa. Não é Nesquik mas é bonzinho!



As minhas melhores amigas


Leitinho com chocolate

Tínhamos sempre um a mais na mala não fosse termos fome durante o dia. Encontra-se em qualquer supermercado, sendo que o melhor é claramente o Albert Heijn - bom, barato, com produtos frescos e com presença em quase todos os bairros de Amesterdão. Há até uns com sandes já prontas que dão um jeitaço: é um almoço bom e barato.

No entanto, Amesterdão também não é nenhum drama de preços. Almoçámos algumas vezes em restaurantes e não pagámos mais de 10€ por refeição. Foi o caso deste dia:

Haburgueres para o D e Massa para mim
Não é sauável? Não. É bom? Médio. Resolve? Sem dúvida. Agora, fait attention: NÃO PEÇAM ÁGUA ENGARRAFADA ÀS REFIÇÕES. Paga-se um absurdo (quase 3€ por garrafa). Vão ao Albert Heijn e comprem uma para andar na mala. Depois vão enchendo - ou comprando outras, que eu sou menina que só bebe água de garrafa...

Amsterdam Museum
Um dos museus que escolhemos ver não parece ser o mais turístico da cidade, mas foi claramente um dos nossos favoritos. O Amsterdam Museum, onde passámos quase 4h, é maravilhoso e conta passo a passo a história da criação de Amesterdão. ( Sabiam que em 1950 já havia um plano de crescimento até 2000? Por isso é que a cidade é organizada e não totalmente messy como Lisboa).  Foi uma das melhores dicas que recebemos e queremos levar lá amigos quando voltarmos.

Quando saímos, decidimos voltar a pé para o mercado das flores - que visitámos umas 50 vezes sem que nunca nos tivéssemos cansado dele. Fica perto da bonita praça Rembrandt e de ruas com imensas lojas para ver e restaurantes onde se pode comer por preços acessíveis.

Tulipas

Cannabis
No Blaumen Market há de tudo: desde Tulipas a starter kit para plantação de Cannabis, há mesmo de tudo. E a preços acessíveis. É maravilhoso...


Durante as passeatas, quando o frio e a fome apertavam, fazíamos a dieta holandesa: chips with mayonese, please. Quente, barato, delicioso. Uma maravilha!, portanto.


Nota: Ir para Amesterdão sem falar inglês pode revelar-se um verdadeiro problema. Não há praticamente coisa alguma escrita noutra língua que não o holandês, e ainda assim são poucas as que estão escritas em Inglês. Portanto, antes de ir, garantam que sabem pelo menos pedir o essencial na língua de sua Alteza Real Isabel II ;)

Greve Geral

Hoje não há greve geral, lá em casa. Nós não somos pessoas de greve. Somos pessoas de trabalho. Mas já está combinado: a greve começa por volta das 20h30, quando nos enroscarmos os dois no sofá a ver o episódio de The Good Wife desta semana, e a pôr em dia séries diversas que não temos tido tempo para ver. É a nossa forma de protesto.

E eu faço greve ao jantar. Pronto.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Uns basicoZinhos #2

Eu sou daquelas pessoas que são incapazes de sair de casa sem maquilhagem. E não tenho inveja nenhuma de quem o faz, lamento...Até porque, ao contrário do que as pessoas pensam - geralmente aquelas que, precisamente, não se maquilham - isto não demora nada. E faz toda a diferença na pele.

Eu demoro não mais de 5 min a maquilhar-me para sair de casa. Isto se for o meu básico do dia-a-dia. E para quem tem dúvidas, aqui vai o meu basicozinho das manhãs em 5 minutos.


Creme hidratante







Para as olheiras










O primeiro passo é um bom creme hidratante. O meu favorito é o Estée Lauder Time Zone. Mas como os tempos agora não andam para cremes de 40€, descobri um Nivea (ahah) que por 5,99€ me deixa bastante satisfeita. Hidrata, não deixa a pele oleosa e tem protecção solar factor 15. Nunca saio de casa sem hidratar a pele do rosto.

Logo de seguida, tento dar cabo das minhas olheiras (que existem sempre, mesmo durante as férias e o bronze de Verão). Há cerca de dois anos rendi-me a esta caixinha da Oriflame, que mesmo nos dias mais difíceis faz maravilhas com o roxo e os papos que tenho debaixo dos olhos.

Estas duas coisas devem levar-me  cerca de 3 minutos.


Pó Compacto
Pó translúcido


Depois o pó compacto. A minha pele tem andado sem imperfeições de maior, pelo que consigo corrigir tudo com o corretor de olheiras, e tenho dispensado a base - a minha pele agradece. Portanto, tenho finalizado com o pó compacto da Kiko (ótimo e dura imenso tempo: 9,90€). Aguenta imenso tempo e não tem um ar nada artificial. Nos dias em que preciso de recorrer à base, finalizo com o pó translúcido da Kiko, as well. A maquilhagem aguenta durante muito mais tempo e sem brilhos. Isto demora no máximo 30seg a fazer.


Máscara de pestanas da Kiko

Blush em gel da Wet'n'Wild

Por fim, nunca mas nunca dispenso a máscara de pestanas (também da Kiko. Acho que custa uns 3€ - eu compro aos montes, portanto nunca sei os preços. Sorry). Dá um olhar totalmente diferente e sem ela já nem me reconheço.E porque eu tenho a cor da Murta Queixosa - que é como quem diz, sou mais pálida que um fantasma - também não saio de casa sem blush. E depois de experimentar vários (Sephora, Kiko and so on - que eu sou pessoa que gasta pouco dinheiro em blush), volto sempre ao mesmo. O Mega Gloss da Wet'n'Wilde. Dura um dia inteiro, tem um brilho bonito e as caixas duram uma imensidão de tempo. Nestas estas duas coisas gasto cerca de 1,30 seg.


Portanto, não há desculpas: uma make up perfeita em 5 minutos. Vocês até podem não dar pela diferença, mas vos garanto que as pessoas com quem se cruzam vão reparar ;)


Bom dia!

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Ugg!

O meu dia começou maravilhosamente. A sério que sim. E eu achei mesmo que a semana ia ser ótima. Mas o meu dia entretanto transformou-se num tormento. E adivinha uma semana de seis dias igualmente tormentosa. Mas entretanto abri o meu email e descobri que a UGG abriu uma loja no Marais, em Paris. E isso, que não muda coisa nenhuma - até porque Paris, agora, só para o ano e se a vida melhorar - pelo menos alegra-me a vista.


Digam lá que não é um mimo?

Uns basicozinhos

Ou como passar na Baixa de manhã pode ser um problema para a minha carteira - e uma farra para o meu guarda-roupa!


Estas foram amor à primeira vista


A tentar largar os pretos. e os cinzas.


O verdadeiro basicoZinho


Tudo da Zara. Um mimo, é o que vos digo!!

domingo, 11 de novembro de 2012

Devaneios de um Domingo de trabalho

quem é que disse que procurar casas era divertido?
Alguma vez deixei aqui dicas sobre São Paulo? Ou o Rio de Janeiro?

Não? Vou fazê-lo em breve. Que eu sei que a malta gosta desses destinos. E essas duas cidades estão gravadas no meu coração como se fossem casa minha. Porque o foram, efectivamente.

Portanto, malta que esteja a preparar- se para viajar para lá pela primeira vez, let me hear about you!

I <3 weekends

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Do casório #12

[uma rubrica que já não entra aqui há algum tempo...até parece que não estou a preparar coisa nenhuma]

Pois que já temos as alianças escolhidas. E as cores. E as flores da Igreja. Pronto. Não digam que não somos pessoas adiantadas e eficientes :)

O fotógrafo também já está. E o DJ..já faltou mais! :D

Que bem se esteve...Amesterdão #2

Chegámos a Amesterdão num Domingo de manhã. Estava um frio de rachar, mas nada que os nossos bons casacos e botas não pudessem ajudar a aguentar. O primeiro passo foi descobrir como chegar ao HotelZinho que tínhamos escolhido - a 5 minutos da Central Station, limpo, quente e hiper bem localizado (como já tinha dito neste post, eu sou pessoa para gastar pouco dinheiro em hotéis, desde que eles me satisfaçam nos requisitos da higiene e do WC privado :)

Escolhemos o Hotel Internationaal, que era um antigo bar de marinheiros, e que mantém o seu ar muito tradicional. Na parte de baixo há um bar muito muito giro - bebemos lá umas cervejas bem agradáveis - e por cima são os quartos. Para além disso, fica mesmo atrás do Red Light District. Foi uma ótima escolha.

Imagem retirada da Internet
Depois de deixar as malas, decidimos fazer aquilo de que mais gostamos numa cidade que não conhecemos: ir à aventura, sem mapa, sem relógio e sem planos. E assim foi. Passeámos a tarde inteira, almoçámos perto do Mercado da Flores (lindo, lindo. Fomos lá umas quatro vezes) e depois fomos a pé do centro até Amstel, porque tínhamos recebido um convite para jantar de um amigo do D. que é chef num restaurante mesmo à beira rio.

Como estava incrivelmente frio - e junto ao rio o vento é implacável - decidimos lanchar num sítio quentinho e fazer tempo até serem horas de jantar. Claro que nos perdemos e que andámos uma hora a passear à volta do restaurante até que nos dignámos a olhar para ele:)

Outubro 2012

O Riva Restaurant tem uma cozinha internacional e uma decoração fantástica. Fica mesmo à beira do Mastel e no Verão tem uma esplana sobre o rio verdadeiramente apetitosa. Nós chegámos para jantar e foi-nos dito que o chef escolheria os nossos pratos. Fizemos uma refeição de três pratos que dificilmente irei esquecer na vida. Só tenho fotos do primeiro porque estava demasiado entusiasmada a comer para me lembrar de fotografar os outros. Mas anyway, este foi o meu favorito :)

Riva Restaurant Outubro 2012

Começámos por um robalo grelhado com caviar, em cama de gengibre, castanhas do mar e molho de manteiga e limão. Foi possivelmente o melhor prato que comi na vida (é o que está acima). Depois, choco e vieira com arroz negro, e molho de choco e para terminar, vitela com puré de abóbora. Para sobremesa, um dos melhores bolos com gelado que comi na vida.

Tudo acompanhado com um ótimo vinho branco e obviamente, a melhor companhia do mundo. Foi o nosso melhor jantar, so far.

Riva Restaurant, Outubro 2012

Não é um restaurante para ir todos os dias, mas vai ser claramente para voltar assim que regressarmos a Amesterdão. Porque vale cada cêntimo. Porque os pratos são ótimos e o sítio é maravilhoso. E mais que não fosse, para apoiar o R., que está a tornar-se num chef maravilhoso.

A noite acabou com uma cervejola no bar do nosso hotel, depois de um passeio pelo Red Light. Foi ótimo. Ótimo. Ótimo.

Entretanto, fica a dica: quando chegarem, comprem o cartão IAmsterdam. Dá entrada gratuita em montes de museus e é também um passe para os transportes. Fica muito mais barato.
No caso, como eu não pago na maior parte dos museus, optámos por comprar só o passe de transportes para quatro dias (21€). Foi o melhor que fizémos. Vale imenso a pena ;)


quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Dreams

[prometo que é o último post em inglês. Ouvir o Obama mudou-me o chip. Sorry]


We all need idols. We need inspiration. We really should have someone who gives us the hope and the smile we need to face our life, everyday. We don't have someone like that, in Portugal, for a while. A long, hard, tough while. And for all who say that dreams should not lead our life, let me disagree. In fact, dreams SHOULD lead our everyday life. It's all about it. If you don't like you work, but you need to keep it, you should dream with a better one until you really get it. If you have troubles at home, you should dream about a perfect life until you reach it. If you are disappointed with your friends, you should dream about perfect friends until they become that to you – ‘cause on day they will.

Today, I cried a river during Barack Obama’s speech. And it was not because I love him (and I really do), or because it was the better speech I ever heard in years (and it really was). I cried because I saw there an idol. I saw hoe. I saw strength. I saw a sparkling smile giving me the willing to change the world every day. And I just wanted to have someone, in Portugal, that could make me feel the same way.

'Cause his words, even the ones we know are not absolutely true, are so beautiful and full of hope that I just kept repeating them to myself during all day.




Imagem retirada da Internet



“I have always believed that hope is that stubborn thing inside us that insists, despite all the evidence to the contrary, that something better awaits us so long as we have the courage to keep reaching, to keep working, to keep fighting” (Obama, Nov 6 2012)


“[…] And I ask you to sustain that hope. I'm not talking about blind optimism, the kind of hope that just ignores the enormity of the tasks ahead or the roadblocks that stand in our path. I'm not talking about the wishful idealism that allows us to just sit on the sidelines or shirk from a fight. […] I believe we can keep the promise of our founders, the idea that if you're willing to work hard, it doesn't matter who you are or where you come from or what you look like or where you love. It doesn't matter whether you're black or white or Hispanic or Asian or Native American or young or old or rich or poor, able, disabled, gay or straight, you can make it here in America if you're willing to try.”

Yes, we did it!

 Four years ago, when I said that if I could, I would vote for Obama, everyone thought I was crazy. I remember people asking me why did I even care about US elections and - Lord!! - "who the hell is Obama"? Four years later I saw Portugal spending all night with eyes on CNN. Hoping. Praying. Suffering. And now, for all the people that four years ago didn't understand - and for those who still don't - I will tell you...this is why I allways stood for Obama:



http://www.guardian.co.uk/world/video/2012/nov/07/barack-obama-victory-speech-video

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Não posso acreditar!



A Marisa Monte  vem a Portugal em Abril. Eu, toda contente, estava já a preparar-me para o surpreender com dois mega bilhetes para a irmos ouvir. Mas não. A Marisa Monte tinha que escolher um dos únicos dias em que não podemos ir ao concerto dela. Por um mega motivo, é certo, mas...mas..mas...

:(

Que bem se esteve...Amesterdão #1

na última semana. Eu tinha oferecido a viagem ao pequeno no aniversário dele, mas só a pudemos fazer agora, visto que não havia férias para isto antes. Nenhum de nós conhecia Amesterdão, e foi muito mais do que tudo o que me tinham dito sobre a cidade.

Tenho mil dicas, ideias e coisas giras para dizer. Por hoje, deixo só algumas fotos. A temperatura média rondou os 5ºC, choveu quase todos os dias mas a viagem não podia ter corrido melhor. Adorámos cada bocadinho, cada canal, cada museu, cada refeição, cada momento com os amigos.

Outubro 2012
Amsterdão, Out 2012
Amsterdão, Out 2012
Amsterdão, Out 2012
Ocorreu um erro neste dispositivo