segunda-feira, 15 de abril de 2013

Presentes

Ontem, depois de ouvir um tenho aqui uma coisa para ti, corri feito miúda para ver o que era. Eu adoro presentes. Toda a gente adora presentes. Não haja falsos moralismos. E de repente ele estende-me um saco branco, de plástico, fechado, e diz: foi o M. quem mandou. Não sei o que é. E eu, que tenho um olho demasiado clínico para ver através de pequenas opacidades, desmanchei-me a rir ainda antes de abrir o saco e confirmar as minhas desconfianças:

Porque o nosso caríssimo amigo - mais dele do que meu, temos que admitir - me ofereceu um saco cheio de tampões e de pensos higiénicos - da marca que eu uso!, e curiosamente para a qual ele trabalha - que deve chegar pelo menos até ao final do ano. Juro. 

O que eu me rebolei a rir, minha gente. O rapaz até acertou nos modelos. Sorte a da piquena que o agarrar. Aquele homem sabe aquilo de que uma mulher precisa.

Priceless.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo