segunda-feira, 13 de maio de 2013

"Sobre o Amor", disse ela


(Museum Of Modern Art, NYC, May 2013)
Faz sentido. O primeiro texto da saga de textos sobre os dias que se passaram teria que ser sobre o Amor. Ela (a minha amiga-quase-irmã) assim o sugeriu, e realmente faz sentido. Por que por mais cliché que possa parecer, sem ele, o Amor, nada do que teria passado se passou.

Não creio que tenha nada de novo a dizer sobre o Amor. Poderei ter algo diferente para dizer sobre o meu, o nosso amor. Mas esse é tão nosso que sei lá eu se se aplica a quem por aqui passa e nos lê. Mas bom, o Amor..

O nosso amor é bom. É um daqueles amores que se foi construindo sem que nos déssemos conta, firmado numa amizade que sabíamos - sempre soubemos - especial. No nosso amor há sorrisos, confiança e cumplicidade. No nosso amor há, acima de tudo, serenidade e espaço individual que nos permite ser mais e melhores quando estamos juntos. No nosso amor há respeito, há conforto e há silêncio. Muito silêncio - e embora seja eu a pessoa mais faladora do mundo, nada me dá mais conforto do que umas horas de silêncio de vez em quando. Um silêncio bom, de paz. No nosso amor há poucas discussões e há muita verdade. Que um amor sem verdade não é verdadeiro e nós não queremos ser pessoas de não amor. Mas acima de tudo, no nosso amor há muita parvoíce. 

Uma parvoíce que nos deixa sãos quando o mundo parece todo louco. Uma parvoíce que nos diverte e acalma e nos afasta da vida real durante aqueles instantes só nossos, cheios de disparates e tonterias de que tanto gostamos. No nosso amor há certezas. E foram essas que nos levaram àquele que foi até agora o dia mais feliz da minha vida: a certeza de que quero sempre sempre voltar para os braços dele, porque é lá que está o meu porto seguro. É nos seus olhos que me perco e me escondo. E é no seu sorriso que ganho a força para o que a vida nos reserva. E essa certeza, de que o amo e de que o quero amar, é uma certeza que apenas o verdadeiro Amor nos dá. 

E por isso mesmo, passar a vida toda com ele tornou-se simplesmente óbvio. E por isso, sob o olhar de todos os que são importantes para nós, e sob o olhar d'Ele, dissemos sim um ao outro. Para sempre. Como o Amor deve ser.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo