domingo, 19 de maio de 2013

Wedding: as fotografias e o vídeo (agora sim!)

Como se foram apercebendo - acho eu - com os textos sobre a organização do nosso mega dia, eu sou uma pessoa poupada. Detesto os disparates de se gastar rios de dinheiro "porque é um dia único na vossa vida", e detesto que me digam que "tem que ser aquela pessoa a fazer porque é a melhor..." e quando vamos ver não só o trabalho não é transcendente como nos cobra um absurdo.

Quando chegou a hora de escolher o fotógrafo, havia duas ou três coisas que sabíamos sobre as fotos do dia do casamento: não queríamos a tradicional sessão, que inclui fotógrafo em casa, bla bla bla, e as fotos da praxe. Queríamos alguém que apanhasse a nossa essência.E que já agora não levasse preços disparatados - os 'fotógrafos da moda' andam a fazer orçamentos em que a base são 1.700 euros. I mean...seriously?! É que mesmo que quiséssemos era coisa que não podíamos pagar, pelo que a coisa se adivinhava complicada.

Portanto, lembrámo-nos de um ex-caloiro-conhecido-amigo que tinha feito umas fotos ótimas no casamento de uma amiga nossa, há uns dois anos, e perguntámos-lhe se por acaso não queria fazer também o nosso - ele não faz casamentos, por norma, mas para além de nos conhecer sabíamos que tinha tudo o que nós queríamos: a técnica, a descontração, o olho... Para além disso, se vou pagar por um trabalho, prefiro então que esse dinheiro ajude pessoas cuja qualidade eu reconheço e que me são próximas.

Tendo ele aceitado as fotos, aproveitámos e pedimos-lhe também que fizesse o vídeo e o trabalho saiu, como seria de esperar, fantástico. Não há, até agora, uma pessoa que se não tenha emocionado com o vídeo [que aprovámos à primeira]. Não escolhemos um plano, não escolhemos a música, nada: ele, pura e simplesmente, soube ler-nos e aquilo que mais ouvimos até hoje foi "o vídeo está a vossa cara!".
E claro que eu ando a correr as fotografias TODOS os dias desde que as recebi, com vontade de as emoldurar e espalhar todas pela casa, de tão bonitas que estão todas. A luz, as cores, a edição...

Portanto, ter escolhido o João Cunha [que teve a ajuda do Diogo na fotografia] foi até agora, uma das decisões de que mais nos orgulhamos. Porque para além de confirmar que ele é um fantástico profissional, nós ainda nos divertimos bastante, sem o drama do fotógrafo que quer as poses mais sinistras do mundo, e com imagens fantásticas [ainda sem ser num álbum] que, temos a certeza, nos vão fazer sorrir sempre que olharmos para elas.

Todos os direitos reservados por João Cunha

Todos os direitos reservados por João Cunha

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo