segunda-feira, 8 de julho de 2013

FestarOlas!


Se há vantagens em termos casamentos - para além, obviamente, da felicidade dos nossos amigos - é que eu tenho uma mega desculpa para precisar de modelitos novos no armário. Até ao ano passado, e durante os três anos anteriores, o meu roupeiro tinha imensos vestidos - ou saias, calças, corpetes, macacões que eu cá não tenho a teoria de que temos que ir sempre de vestido. Podemos ter imeeeeensa classe com outras alternativas  -   novos, com etiqueta, que ia comprando à medida que os via, e ia utilizando nos casamentos ou festas que tínhamos, à medida que iam surgindo.
 
Mas foram tantos os casamentos, festas, batizados e afins que no ano passado fiquei sem mais modelitos que pudessem ser utilizados - ou reutilizados - e tive que voltar ao investimento, o que me levantou algumas dificuldades imediatas: primeiro, porque não sou a favor de gastar um balúrdio em vestidos; depois, porque não pode, sequer, haver a hipótese de haver vestidos iguais no evento em questão.
 
Como se resolve? Opções pessoais:
 
Há muito tempo que não uso um modelo que tenha sido comprado em Portugal, ou que seja de cadeias de lojas corriqueiras (Zara's, Mango's and so on. No máximo, opto por lojas pouco conhecidas, preferencialmente fora de Lisboa). Como é que não se compra em Portugal, mesmo quando não se viaja? Fácil: na internet. O site da Asos tem sido um dos meus maiores aliados no que toca a vestidos e sapatos. É preciso procurar, é preciso ter paciência, mas vale bem o investimento.
 
Claro que em viagem é ainda melhor, porque garantimos que não vai haver um modelo igual - a menos que vão às Zaras desta vida - e além disso podem apanhar-se mega promoções. Foi basicamente o que me aconteceu este ano, quando andava às compras em NYC. Sem querer, de de caras com dois vestidos pelos quais me apaixonei à primeira vista. Ambos na Urban Outfitters, e ambos com 70% de desconto. Claro que os trouxe para casa e me resolveram os casamentos deste ano.Também já me aconteceu comprar vestidos no Brasil, em Madrid, em Paris... sempre que dou um satinho fora vejo se por acaso não há aquisições que valham a pena.
 
E obviamente que uso a mesma técnica para os sapatos, apesar de reutilizar sapatos imensas vezes - aliás, no último casamento usei os meus sapatos de noiva, que me custaram...58€! Já renderam! Compro sapatos fora do país [muitos vêm do Brasil, confesso] quando estou em viagem ou, novamente, mando vir da Asos, que tem uma ótima relação preço qualidade.
 
Os acessórios vão variando: geralmente são coisas que já tenho ou que peço emprestadas a alguém da família. Nunca gasto muito dinheiro com isso, porque tenho imensa coisa - a minha mãe, por exemplo, fez à mão a echarpe que levei ao último casamento. Lembram-se?
 
Guardo o investimento para o cabelo - já comentei, não é? Não há pior que um cabelo que se desmanche duas horas depois de a festa ter começado - e, às vezes, para a maquilhagem [muitas vezes faço-a em casa para rentabilizar a quantidade de make up que lá habita].
 
E a verdade é que esta técnica tem resultado. Nunca me aconteceu encontrar alguém com um vestido ou uns sapatos iguais aos meus. O meu cabelo, por norma, aguenta até ao final da festa e nunca me senti deslocada - mesmo que opte por um macacão de seda em vez de por um vestido de cerimónia - em nenhuma das cerimónias a que fui!
 
[Ah!, e também nunca troco de sapatos! Os que escolho para uma cerimónia têm que servir até ao final da festa.Ou se aguentam até ao fim [mesmo que com dores nos pés] ou então mais vale andar descalça. Não há pior que um bonito modelito estragado por uma Fly com sola de cortiça!]
 
 
 
 
 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo