quinta-feira, 11 de julho de 2013

Boa noite, Cinderela



O dia do nosso casamento foi um dos mais bonitos da minha vida. Para além de ter sido o mais importante. E apesar de toda a calma, de todo o tempo que tivemos para preparar tudo, a verdade é que inevitavelmente, nos últimos dias, os nervos se foram acumulando. Primeiro os meus, depois os dele, os das madrinhas, dos amigos… Eu, que até sou bastante extremista em relação a algumas coisas [I must confess], sou-o zero em relação a tomar remédios para nos acalmarmos, para conseguirmos dormir, whatever.

Portanto, um mês antes do grande dia, passei a tomar remédios que me ajudaram a dormir quando tinha insónias e que não tomando um por dia, era o suficiente para me regular os sonos durante pelo menos quatro dias – nos outros ia-me aguentando, mesmo quando dormia mal, porque também não estava para me entupir de remédios. E sinceramente, acho um disparate que as pessoas não o façam – tive mil pessoas a dizer-me “Ah, não tomes, isso é horrível”. Não só me borrifei de alto para esses conselhos – se eu estou nervosa e não consigo dormir, de que adianta não tomar nada? Para ficar mais nervosa, dormir menos e ficar com cara de cocó? – como até tomei remédios para dormir na véspera do grande dia. “Ah, não tomes, depois vais estar toda grogue, não te vais lembrar de nada do casamento…” Pois sim.

Como diz a MAB – e às vezes acho mesmo que ela tem razão -, eu posso ter caído num caldeirão de cafeína quando era miúda. A sério. E se as pessoas acreditam que um remediozinho para dormir me tira a energia…oh well! J A verdade é que tomei o remédioZinho, acordei a horas e desconfio que entre mim e as minhas madrinhas, fui a pessoa mais calma daquele dia. Sinceramente? Lembro-me de tudo, não estava nada grogue e nem sequer tomei um café – eu, a mulher dos cafés! Passei o dia lindamente, e não me arrependo nem um bocadinho de ter recorrido a ajuda para acalmar. Qualquer noiva precisa de ajuda para acalmar, mesmo que seja a noiva mais calma. Porque a verdade é que queremos que corra tudo bem .

Portanto, quando a M. me perguntou se devia tomar remédios antes do big day, eu não só disse que sim como lhes dei os que me tinham sobrado. And guess what? Acho que resultou…

PS: R., acho que também te vou dar a ti. És o noivo mais nervoso que conheci. Lord!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo