segunda-feira, 22 de julho de 2013

Críticas e desculpas.

Demorei anos - muitos - a aprender a pedir desculpa e a aceitar críticas. De verdade - o carneirinho que há em mim odeia baixar a cabeça e muito menos reconhecer que está enganado. Mas o tempo, como a vida, ensinam-nos que às vezes é mesmo melhor ouvir as pessoas que estão à nossa volta, deitar para trás as manias, e admitir que pode haver uma solução melhor do que aquela em que estamos a pensar.

Eu, uma crítica compulsiva [admito e aqui me confesso], tenho trabalhado todos os dias para deixar de o ser. Faz parte da minha aprendizagem para ser mais humilde, menos 'judgmental', mais atenta ao que passa no mundo, mais sensata e mais serena nas tomadas de decisão da minha vida.

Pedir desculpa é coisa que me continua a custar. Verdadeiramente. Mas peço. Às vezes até peço mais do que uma vez à mesma pessoa, pela mesma razão, se achar que realmente fiz asneira da grossa. E tal como não resisto a um pedido de desculpas [sou uma molinha], espero que o meu tenha igual efeito. Porque acredito - e sinto, cada vez que o faço - que só pedimos desculpa quando realmente gostamos muito da pessoa ou achamos que fomos os piores do mundo. E também acredito que é preciso grande coragem para o fazer, razão pela qual um pedido de desculpas merece, quase sempre, um grande abraço e um beijinho.

Com as críticas, é um bocadinho o inverso. Custam imenso a ouvir - claro. Mas parte delas [as que vêm, obviamente, de pessoas que sabemos que nos querem bem e que fazem sentido] são importantíssimas e podem mudar a nossa vida. Por isso, também tirei do meu vocabulário frases do género "eu acho que fiz tudo bem e que foi tudo maravilhoso" ou "vai ser assim porque é a melhor forma!". Posso dizer que "vai ser assim porque eu quero". Mas também já dei por mim a dizer: "devia ter feito como tu disseste, porque realmente da forma como eu quis não resultou". Mas tudo isto são aprendizagens. Fazem parte da vida. Custam, doem, são caminhos duros de trilhar e muitas vezes fazem mais mossa, a curto prazo, do que ajudam. Mas a longo prazo, são coisas que nos levam mais longe. Levam-nos a ser melhores. Sobretudo para quem nos rodeia.

Boa semana! :D

1 comentário:

  1. Isto é mesmo a minha cara. Sou tal e qual... mesmo! Agora ando mais controlada e já pelo desculpa, embora em algumas situações ainda me custe mas já admito que erro e que nem sempre tenho razão :)
    Suponho que isto melhora com a idade :)

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo