quarta-feira, 14 de agosto de 2013

The Childfree Life

Num dos artigos que li ultimamente, um especialista chamava a atenção para uma coisa fantástica na qual nunca tinha pensado:

“There’s more pressure on women to be mothers, to fulfill that obligation, than I’ve ever seen,” [...] “In the past we assumed it was out of a woman’s control” whether or not she had a child. “Now we think it’s her choice, so we can blame her.”

Ter filhos é, e sempre será, uma opção. É obvio que todos queremos saber da preservação da espécie, que os valores morais, religiosos e sociais tendem para que todas as pessoas tenham filhos, mas a verdade é que a maternidade / paternidade é uma opção. Que pertence a mais ninguém se não aos progenitores. Tentar passar isso para a esfera pública é errado, inapropriado a absolutamente inócuo, em última instância.


Há vários meses que algumas revistas de referência, de países diferentes, fazem capas sobre o assunto. De repente, lembro-me de que li uma Veja sobre isso e mais recentemente, a Time fez uma mega peça, as well. Reportagens que não incitam a ter ou a não ter filhos, mas que retratam a sociedade actual:

Mulheres que preferem investir na carreira, que não se sentem maternais, que não querem ter filhos. Que dizem poder assim lutar de igual para igual no que toca ao percurso profissional porque - sejamos realistas - certo é que poucas empresas dão às mães as condições ideais para que possam ser grandes mulheres de negócios, as well.

Mulheres que nunca encontraram o pai ideal, casais que afirmam viver melhor sem descendência, que não querem abdicar de montes de coisas - abdicando de outras. É a pura e dura realidade de um momento económco difícil, de um mundo onde a maternidade - felizmente - é opção. É o retrato de uma parte significativa da população, que não pode ser maltratada por causa disso!



Pouco tempo depois de ter saído a Time que fazia da vida sem filhos tema de capa, surgiram em catadupa comentários e dissertações de movimentos ou pessoas individuais que cruxificavam as mulheres - e os casais - que decidiram não querer ter filhos. "Seremos sempre pró-vida". Ora, não querer ter filhos não é bem o mesmo que fazer um aborto. Há milhares de razões para um casal poder não querer ter filhos e, dizem alguns entendidos, uma delas é precisamente o facto de toda a gente achar que temos que ter filhos. Não temos. Aliás, há pessoas que nem deviam ter filhos e têm. Outras que não podem e gostavam. E depois há as que não querem. E se não sabemos respeitar isso,  que respeito podemos exigir?

Não, não acho que as pessoas que não querem ter filhos sejam egoístas. Prefiro ver um casal sem filhos que filhos com maus pais. Não acho que toda a gente tenha que ter filhos. Não acho que uma mulher que se sente realizada profissionalmente tenha que abdicar disso porque a sociedade a manda ter filhos antes dos 40. Não acho que todas as mulheres só se sentem realizadas quando são mães: umas sim, outras não. Como umas precisam de trabalhar para se sentirem completas e outras não. C'est la vie.

Da mesma forma que não acho que uma mulher que queira ser mãe tenha que ser discriminada por isso; não acho que não deva ter todas as condições para ser uma profissional exemplar e poder ser mãe.
Não acho justo que se pergunte a uma mulher, numa entrevista de emprego, se pensa engravidar, como carácter decisório. Não acho que faça sentido uma mãe ser prejudicada porque teve que sair mais cedo três vezes para ficar com os filhos. Mas esse é o mundo real.

O mesmo mundo real que obriga as mulheres a serem profissionais fantásticas, mães exemplares e mulheres impecáveis em dias com apenas 24 horas. E se não o conseguirem, também são criticadas por isso.

Portanto, desculpem todos aqueles que acham que a vida só é plena e feliz com uma catrefada de filhos. Há pessoas que pensam de forma diferente. E merecem exatamente o mesmo respeito do que vós, felizes com a vossa catrefada de filhos :)


PS: nós queremos filhos. está tudo bem. isto não é um texto para justificar as minhas opções, pequenas microalgas *

 

 

3 comentários:

  1. este tem sido felizmente um tema recorrente, e cada vez menos mulheres e casais assumem que não querem ter filhos.

    Felizmente o assunto deixa de ser um bicho de mil cabeças e passa a ser tratado como uma outra qualquer decisão tomada pelo casal ou pela mulher.

    Aliás, se todos tomarem atenção ao ritmo alarmante a que a população mundial cresce, e de como, cada vez mais a raça humana se parece com um parasita que não tem predador... não me parece nada mal que alguns decidam não ter filhos.

    Essa sim, é cada vez mais uma decisão em prol da Humanidade.

    ResponderEliminar
  2. Quem dera essa decisão fosse respeitada por todos. Infelizmente existe muita pressão por parte de familiares quando não se quer ter filhos e muita gente querendo dar palpite na vida do casal. Filho não é obrigação, é uma escolha e deve ser respeitada !

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo