domingo, 25 de agosto de 2013

Wedding: o vestido #3

A minha costureira - já aqui disse, a melhor de sempre - tem mãos de fada. Trabalhou em alta costura a vida toda, atualmente está reformada e eu tenho a sorte de ela ainda me receber como cliente, apesar de já não o fazer com muita gente.

Quando escolhemos o vestido, as primeiras palavras dela foram: "acho que é maravilhoso. É totalmente a sua cara" [ela conhece-me desde os 7], o que me deu algum descanso. E depois só dizia "isto é muito fácil de fazer. Muito fácil". E eu acreditei que eu acredito naquela senhora como na minha mãe, quase.

Mandar fazer um vestido de noiva é uma escolha muito pessoal, que acima de tudo tem a ver com ter-se ou não uma costureira de confiança. Eu levarei a minha, comigo, no meu coração, forever! Começámos as provas em Fevereiro, para ajustar todo o modelo ao meu corpo. Estavam previstas cinco provas: duas em Fevereiro, uma em Março e as duas últimas já em Abril. Por causa de uma gripe violenta que atacou a costureira, a segunda de Fevereiro passou para Março. Ainda faltava imenso para fazer eu já achava que o vestido ia ficar mesmo mesmo como eu queria. Mas ainda faltavam três provas e portanto tínhamos mais do que tempo para fazermos alterações se algo corresse menos bem.

Só que um mês antes do grande dia a senhora partiu um pé. Lembro-me de ter parado no meio da rua, estática, enquanto ouvia o filho dela, do lado de lá , a dizer "Vai correr tudo bem. Ela diz que o vestido ficará pronto". E ouvi-me a responder "o que importa é que ela fique bem!" E continuei estática por mais 30 segundos. Faltava um mês, tudo se ia resolver.

Lembro-me de ligar à minha mãe, já a rir-me - porque realmente, ou se ri ou se chora, nestas situações - a contar-lhe a situação. Do outro lado, só ouvia o meu pai dizer: não te preocupes. Se for preciso compramos um vestido! E eu a dizer: "Oi? Eu não quero outro vestido. Eu quero aquele. E vai estar pronto. Tenho a certeza" - pelo menos queria ter! :)

E a verdade é que só houve mais uma prova até ao dia do casamento - precisamente 6 dias antes! A senhora conseguiu arranjar uma ajudante, costurou imensas coisas à mão - que as máquinas bem que precisam de pés para funcionarem, empenhou-se no projeto como se a vida dela dependesse daquilo. Fui buscá-lo na véspera do casamento, à noite, e levei-o de coração cheio de gratidão. A pobre costureira continuava sem conseguir andar, mas com um sorriso de enorme prazer na cara. "Por favor, traga-me fotografias, sim?"

Não era um vestido de princesa. Não tinha véu. Não tinha rendas, uma saia enorme em balão, bolsos, ou brilhos e pérolas. Mas era tanto a minha cara. Tinha tanto de tantas pessoas - as madrinhas que ajudaram a decidir pormenores, o bordado usado pela minha mãe, o empenho, a delicadeza e a arte da costureira - que não podia ter-me sentido uma noiva mais bonita num outro vestido.

Talvez não tivesse "wowAdo" os convidados - acho que o consegui com o noivo!:). Mas vos garanto que sempre que o vejo, sinto uma emoção totalmente inexplicável! E uma vontade incontrolável de o voltar a usar!

Fotos aqui



Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo