domingo, 8 de setembro de 2013

Fim do [nosso] Verão.

Este ano, por [boas] razões diversas, não houve férias de Verão. Os nossos planos foram todos por água abaixo, os calendários feitos cuidadosamente a dois atirados às urtigas e tivemos que recorrer à improvisação com os fatos que tínhamos: só há finais de semana; tivemos demasiadas contrariedades para poder gastar muito dinheiro; não sabemos como vai estar o tempo nos únicos dois dias por semana que teremos para 'feriaZar'.

Como eram tudo fatos consumados e não valia a pena pensar demasiado sobre o assunto, apostámos no descanso. Essa era a única coisa que sempre soubemos: precisávamos - sobretudo eu - de aproveitar os finais de semana para descansar tudo o que pudéssemos. Entre a casa de praia dos pais, uns passeios mais a norte ou a este ou a sul(zinho), tínhamos combinado que íamos guardar um último trunfo para [provavelmente o nosso] fim do Verão. Foi, possivelmente, um dos melhores finais de semana que tivemos. A dois. Sem pressas. Com o melhor tempo de sempre. Os lugares mais maravilhosos. O melhor serviço. E o coração cheio pela alegria de ter pessoas que nos querem tão bem. Que nos querem tanto.

Este ano - dizíamos - os fins de semana quase souberam a mais férias que quando temos férias. Porque nos focámos neles como nunca antes. Foram nossos. Muitos deles só nossos - mesmo que em casa. E foram preciosos para a nossa sanidade mental. E para o bronze dele.

[já eu, no ano em que fiz mais praia na vida, desconfio, chego ao último final de semana a parecer uma lagosta transpirada...]


Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo