sábado, 23 de novembro de 2013

Obrigada #2 | o melhor do meu dia

Boss,

Nunca me vou esquecer - de verdade - daquele primeiro dia em que nos sentámos a tomar um café. "Disseram-me que és ambiciosa. Só preciso de saber se isso é bom ou mau". Nesse momento, senti a réstea de confiança que ainda me sobrava - passei aqueles dias a pensar 'onde é que me vou meter' - a desaparecer.

Quando cheguei já te apontavam como o melhor na tua função. Foi por isso que também sempre desejei trabalhar contigo. E ainda que nas primeiras semanas tremesse da cabeça aos pés cada vez que me dirigias a palavra, no fundo sabia que estava a trabalhar com a pessoa certa.

No dia em que escrevi o meu primeiro texto para ti chamaste-me, com ar descontraído, e explicaste-me o que estava mal. Mas não te esqueceste de dizer o que estava bem. E essa foi uma das coisas de que sempre gostei em ti: apesar de seres a pessoa mais exigente que conheço, de seres duro nas críticas de não deixares passar erros, também não te coíbes de apontar o que está bem feito. De ver as qualidades. E é isso que faz de ti tão bom líder.

Lembro-me também daqueles meses difíceis que atravessámos, em que toda a gente andava estoirada. Depois de uma semana desastrosa chamaste-me e disseste: "Preciso que te concentres. Estás a entrar em auto-gestão. Sei que estás cansada, mas o texto de hoje está miserável". Sabes que tive vontade de chorar logo a seguir, não sabes? Mas a verdade é que me foquei. E dois dias depois dizias-me:"vês o qe acontece quando não estás em auto-gestão? ;)"

Espicaçaste-me, deste-me a mão, apontaste-me as falhas, exigiste, fizeste-me ser mais e melhor mesmo quando eu não queria. E de cada vez que eu me insurgia tu explicavas as tuas razões. Tinhas sempre uma!

Não é que não tenhas mau feitio. Tens. Mas eu também. Portanto às vezes não falávamos o dia inteiro mas a coisa dava-se :)

Quando decidi sair foste a primeira pessoa com quem falei, como sabes. Não sairia se não me dissesses "Vai". A tua opinião para mim sempre foi das mais válidas, depois de termos começado a trabalhar juntos. Não te deixaria, sobretudo depois daquela conversa que tivemos pouco tempo antes de eu ter recebido esta proposta. Sabia que podia contar contigo.Confiavas em mim. E eu confiava em ti e não te queria desapontar.

Sempre te disse que gostei de trabalhar contigo. Elogio-te ainda hoje pelas qualidade de líder, pela inteligência, pela boa escrita. Mas hoje...hoje tinha que escrever este texto [sou muito melhor a escrever do que a falar como sabes] de agradecimento para deitar cá para fora a emoção toda que senti quando ontem li as tuas palavras.

Porque, depois destes meses sem trabalharmos juntos, és tu quem continua a fazer-me acreditar que afinal sou capaz de muito mais.

Obrigada! De coração!

[este post, em jeito de carta, serve de desabafo e de elogio público ao meu antigo editor. que, claramente, continua a inspirar-me todos os dias. mesmo sem eu dar conta. perdoem-me a lamechice do Sábado de manhã. e claro, as palavras que recebi dele foram o melhor do meu dia. e dizer obrigada é o melhor do meu dia de hoje. garantidamente]

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo