segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Sangueeeeee

Sou dadora de sangue há dez anos. Gosto muito de ser dadora de sangue. Há quase uma necessidade de, pelo menos duas vezes por ano, ir até ao IPS - ou a um posto móvel - e doar praticamente meio litro do meu querido sangue.

Faço-o com o maior dos gostos e a certeza de que há poucas formas tão fáceis de ajudar a salvar vidas.

Nunca tive problemas em dar sangue: não me dói, de sobremaneira, ser picada. A doação dura menos de 15min, por norma. Tenho uma tensão impecável portanto basta-me um café e siga para bingo. Até este ano... Claramente estou em negação completa das evidências, mas a verdade é que já não tenho a idade que tinha, e portanto dar meio litro de sangue começa a bater-me de outra forma.

Resumindo...das ultimas duas vezes que dei sangue lidei, a seguir, com uma paragem de digestão, quebras de tensão e noites de palidez e cama - porque fiz a vida toda normalíssima a seguir, como se não tivesse feito coisa alguma. E é como diz a minha irmã: "Já não tens dezoito anos!".

Isto tudo para dizer que apesar destes contratempos, não vou deixar de o fazer. Tenho que aceitar que o meu corpo já não é o que era e que agora custa mais. Portanto, dar sangue, sim...ir para festas, concertos ou carregar coisas para casa a seguir: não! Mas ainda assim: continua a ser a forma mais fácil de ajudar a salvar uma vida! E isso vale toda a má disposição do mundo!!

Já toda a gente daqui é dador de sangue? :)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo