segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Drunfos

Eu também já fui do género de "ai que dor de cabeça que eu tenho, mas detesto tomar remédios". A sério. Não tomava quando tinha cólicas menstruais - e olhem que sofri -, quando tinha dores de cabeça a achava que curava todas as gripes com leite quente com limão.

Depois deixei-me de paranóias: se os remédios existem são para tomar. E se eu me sinto mal não vou deixar de os tomar porque 'fazem mal à saúde'. Ora..não era suposto fazerem bem? Bom, adiante. A verdade é que me irrita um bocado a teoria do "vou sofrer mais um bocado para ver se não tenho que tomar nada". Se me sinto mal, quero resolver o mal estar: se me dói a cabeça tomo um comprimido, se tenho alergias tomo um anti-histamínico, se me doem os tendões tomo um analgésico e um anti-inflamatório, se estou constipada tomo tudo o que a minha amiga enfermeira me permitir para curar. Boa?

Quando uma pessoa parte um pé também vai ao médico, correcto? Ignorar os sinais do corpo e forçá-lo a 'curar-se' sem ajuda é uma coisa um bocadinho parva. A minha mãe ainda hoje, ao almoço, confessou que estranhou eu ter ido à cama com uma violenta gripe na altura do Natal. Foi a primeira vez que faltei ao trabalho por causa de uma gripe. Porquê? Porque quando me sinto a ficar péssima encharco-me em remédios. Fungo, fico com sono, mas dou cabo dela antes que ela me meta na cama.

Tal como faço com dormir: não durmo há uma semana. Preciso de trabalhar. Mas não consigo dormir? Drunfos. Certinho. Fracos, indutores de sono apenas, às vezes, mas que me façam  dormir. Não vou 'não tomar porque não se deve'. Ora se eu não durmo vou enlouquecer de privação de sono e tentar ir trabalhar e depois de uns tempos ter um 'Horta-Osório'? [ah,  meus queridos colegas do economês, há quanto tempo não dizia isto! :)] E sim. Na minha carteira há, por norma, anti-histamínicos (por acaso tenho que ir ali comprar mais), ben-u-ron e brufen. Sempre.

Lamento. Em minha casa tomam-se remédios. Não são muitos. Não somos viciados. Mas tomam-se os necessários para que não nos sintamos mal. Para que sejamos saudáveis. Portanto, quem acha que eu sou uma fanática por medicação...tem razão. Sou! Tudo por uma vida mais confortável e sem dores. Vão por mim!




Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo