sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Frente & Verso: Resoluções de ano novo

As resoluções de ano novo da Lénia (Frente):

Estou mentalmente formatada para mudar de ano em Setembro. É com o regresso às aulas que sinto que estou em fase de recomeço. É nessa altura que mudo rotinas, que traço objectivos, que programo o que quero fazer no ano que nessa altura começa.
Só que chego a Janeiro e, por uma razão qualquer, volto a traçar objectivos. Não são propriamente resoluções de ano novo, são mais coisas que quero concretizar e que esquematizo nesta altura.
Depois, chego a Dezembro, olho para trás e vejo que não cumpri nem metade do que me propus. E fica a sensação de falhanço mas logo ali ao virar da esquina, com o dia 1 de Janeiro, vem uma nova hipótese de recomeço e... here we go again!!

Este ano tracei objectivos, metas, coisas que quero concretizar. Sei o que quero, sei para onde quero ir. Só que, ao contrário dos outros anos, guardo essa informação para  mim, à semelhança do que sempre fiz em alturas de procurar emprego: nunca digo nada e só informo depois de estar o processo todo concluído (é por isso que nunca digo a ninguém que ando metida em processos de recrutamento e que as pessoas perto de mim só souberam das novidades depois de elas serem coisas concretas).
Este ano é um ano de mudança para mim. Faço 35 anos. Estou a meio de uma década importante. Já não sou uma miúda, ainda não sou uma "mulher madura". Estou ali no limbo entre a sabedoria e a juventude, numa espécie de "no man's land" indefinida. Ou não. Porque não é assim que quero olhar para este meio-dos-trinta. Acho que já chega de uma série de disparates que fui fazendo na tontice da juventude. Aprendi muito nos últimos tempos e chegou a hora de pôr os ensinamentos em prática. Chegou a altura de assumir as rédeas da minha vida e de a guiar para onde eu quero. Para isso, há as tais resoluções que, não sendo propriamente de ano novo, servem de GPS, um auxílio para que eu consiga percorrer os caminhos que escolhi. Por enquanto, quando o ano ainda está fresco, parece tudo fácil e exequível. Faz parte. É aquela esperança que vem sempre com os novos inícios: a esperança de que vai correr tudo bem e de que, em Dezembro, estaremos aqui a escrever um Frente & Verso sobre as coisas que planeámos fazer este ano e que conseguimos efectivamente fazer.

Feliz 2014 a todos!! E vamos lá fazer acontecer!! 

[A minha história, no verso da página, como habitualmente]



Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo