sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

[Re] Love you!

Creio que foram 48h, o nosso máximo. A sério, lembras-te de termos ficado mais de 48 horas zangadas uma com a outra? Já nem sei por que foi, que nós temos a mania de discutir por coisas tão parvas quando o facto de eu preferir um iPhone e tu um Samsung, mas oh well. De ti guardo as mais doces recordações: a tua disponibilidade, a gargalhada fácil, a objectividade, as palavras duras na hora certa. Não és pessoa de paninhos quentes e sabes que quando tens razão, mesmo que doa num primeiro momento, eu vou acabar por ta dar, quando me passar o amuo.


These are us. I'm the tallest one :)

Tu também. Preferes sempre ouvir a verdade mesmo quando ela não é fácil. E nunca te escusas a perguntar: mas se fosse isso tu dizias-me, não dizias?


Invejo-te a resistência e a coragem. De verdade. Sei que há dias em que tens dificuldade em lidar com isso e duvidas de ti própria. Mas invejo mesmo. A maior parte das pessoas que nos cruzam o caminho não passaram por um décimo do que tu atravessaste e falam como se toda a vida tivesse sido a mais pura das injustiças. Invejo-te o andar despachado e decidido. A coragem de conhecer novos mundos sozinha, sem medos, com as hesitações próprias de quem toma decisões, mas sem os dramas de quem não sabe o quer. Porque tu sabes. Durante o caminho que fiz ao teu lado, soubeste sempre ler os sinais que a vida te deu, aprendeste as lições das quedas e percebeste o rumo a tomar sem muitos problemas.

Achas que...?Acho. Tenho a certeza de que a vida tem reservada para ti a melhor das surpresas. Não sei quando. Não sei de que forma. Mas sei isso como sei, no meu coração, que não importa quantos amuos tenhamos, seremos sempre as primeiras a curar as feridas uma da outra [as reais e as outras <3].

Tenho em ti um orgulho do tamanho deste Oceano que ns separa oje do País que nos juntou, há cinco anos [só cinco anos???].
Porque contigo vamos dos Louboutin aos impostos, dos rodapés da Iva à Constituição americana. Passamos da Casa 92 ao Museu d'Orsey e da tasca da Bela ao Café no Chiado. Passamos da Primark à Pronovias e da Forever 21 aos desfiles do Alexander McQueen. Porque me amparas os golpes, choras, ris e tens uma humanidade e uma sensatez que cada vez escasseiam mais nestes tempos que correm.


Porque és suporte, amparo, sorriso e lágrimas. Tudo num só, às vezes na mesma hora, no mesmo minuto. Porque contigo os dias passam e correm e voam mas o tempo parece que não passa por nós porque nós somos assim, também: voláteis como o vento, aceleradas como  o tempo e sedentas de vida como o mundo. E isso é bom. Tão bom.

Hoje este texto tinha que ser teu. Para ti. Porque te adoro e porque agradeço, todos os dias, o facto de Deus ter colocado no mundo uma amiga-quase-irmã que tem um coração do tamanho do Universo. E que tem feito o meu coração crescer, também, durante estes anos que partilhamos. Porque nõ podia ser mais grata por ter uma amiga como tu. Minha amiga, minha madrinha, minha irmã*

Love you! With all my heart!! [e hoje vamos dançar até [eu] cair só porque tu mereces ;)]



PS: Este post foi escrito - com ligeiras alterações - há precisamente um ano, e publicado aqui. Hoje, quando me preparava para escrever, dei conta de que não conseguiria dizer de melhor forma o que sinto por esta miúda! Portanto adaptei o que já estava escrito. Desculpem lá qualquer coisinha :)

1 comentário:

Ocorreu um erro neste dispositivo