quinta-feira, 27 de março de 2014

Screaming

Há uma semana que não ponho um pezinho dentro de água. Esta coisa da natação vicia, mas a mim ainda não conseguiu fazer-me levantar o rabo todos os dias em que devia. Agora, a verdade é que não meto lá os pés há uma semana e sinto-me pesada. Física e psicologicamente. É verdade que a natação trabalha imensos músculos, que me faz sentir poderosa, porque consigo nadar quase um quilómetro, o que é uma verdadeira superação para quem não nadava 300m sem ficar a morrer, há três meses.

Mas também é verdade que sinto falta da natação pela libertação psicológica. Porque a água parece que nos lava a alma. Durante aquela hora não há telefones, não há emails, não há pessoas a falar, não há conversas cruzadas, não há mundo. Durante aquela hora sou eu, comigo, com o meu corpo e os meus pensamentos. Consigo ouvi-los, aos gritos, porque finalmente tenho tempo para eles. Para pensar sobre os meus próprios pensamentos - e passo o pleonasmo.

Porque precisamos disso. De nos obrigar a ouvir os nossos pensamentos. Precisamos de passar tempo connosco. Eu preciso de passar tempo comigo. Para me ouvir. Para me aconselhar. Para me pensar e redescobrir.

Portanto, hoje é dia de nadar. E escrevo-o aqui para ver se ganho vergonha na cara e não perco a coragem quando a hora chegar. Hoje vou nadar. E vou despedir-me deste ano como deve ser. A fazer exercício físico e intelectual. A cumprir a resolução de ano novo!


1 comentário:

  1. Entendo-te :D
    Por recomendação do meu médico, agora com a gravidez, comecei a nadar. Achei que ia ser uma seca ali sozinha mas adorei e passou num ápice!
    Sabe mesmo bem e depois sentimos aquele cansaço bom, de que mexemos os músculos todos:)
    Filipa
    www.welc-home.blogspot.pt

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo