segunda-feira, 21 de abril de 2014

O maior exemplo

Os meus pais fazem hoje 40 anos de casados. Quarenta. Quatro décadas. Mais do que eu consigo imaginar. Dessas quatro décadas, presenciei menos de três. E acredito piamente que é disto que os casamentos são feitos: de discussões, de disparates, de muitos desentendimentos, mas de respeito, de tolerância e sobretudo, de admiração. Os meus pais admiram-se. Tenho a certeza disso. No meio de todas as suas quezílias -que as têm -, no meio de todos os desentendimentos, divergências, opiniões diversas e disparates constantes, eles admiram-se. E isso é meio caminho andado, porque nenhum casamento pode ser um mar de rosas, somente - desculpem, pequenos românticos inveterados, mas esta é a verdade pura e dura! :)

26 Abril 2013

O resto, para além da admiração que sentem, vai-se fazendo: com tolerância, com paciência, com empenho, sobretudo. Ao fim de quarenta anos não sei o que importa mais, se o amor se o empenho. Acho que é o empenho. Porque afinal, 'amar é um exercício de vontade' e o restante vem de arrasto que um casamento a dois implica muita cedência e muito esforço e muita dedicação.

Os meus pais são o meu maior exemplo no que toca a casamentos. Deve haver uns melhores que o deles, certamente também haverá piores, mas para mim  é o deles que vale: são quarenta anos, três filhas, uma quantidade de obstáculos ultrapassados, e uma vida vivida em conjunto aqui, em África ou para onde Deus mandar sempre com um sorriso nos lábios. Sempre com a certeza de que tudo se compõe. Sempre com a certeza de que estão juntos 'na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da sua vida'.

E nós estamos todos contententes, porque só nos faltam praticamente 39 anos para chegar onde eles estão. É um instantinho :)







2 comentários:

  1. Fico feliz por si e pelos seus pais! Ainda há gente muito feliz, eu infelizmente não tive a mesma sorte (acredito que tudo na vida funciona por pelo menos 25% de sorte, os restantes entrego a nos e ao que nos rodeia). em 10 anos de casamento eu tive direito a muitos sorrisos, muitas alegrias, muito amor...mas também a muitos empurrões, murros na cara, pontapés...felizmente não cresci com isso, não vi nunca os meus pais discutirem, sempre com muito respeito...e nunca nos tocaram nem a mim nem aos meus irmãos...foi preciso ter alguém que eu amo dar esse primeiro passo na minha vida. desculpe, é apenas um desabafo que me envergonha e que não há nada a fazer e me marcou para sempre nesta vida que eu não queria... acontece nas pessoas que menos imaginamos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Anónima. Claro que parte da nossa vida também é sorte. Não tenho dúvidas disso. Não tem nada que se envergonhar pelo que passou. Bem pelo contrário! Quem tem que se envergonhar é a pessoa que lhe fez isso. No entanto, não deixe de acreditar no amor, porque a verdade é que existem pessoas maravilhosas. E porque isso que viveu não foi amor. Foi possessão. Foi demonstração idiota de poder. Foi crime. Não foi amor. Abra o coração para o amor. De verdade. Tal como a maldade está onde menos espera, também o amor está onde menos o procura :)

      Eliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo