segunda-feira, 28 de abril de 2014

One year facing life togehter: os vinhos

O primeiro ano de casamento passou a correr. Mais do que a correr. Passou a voar. E se no ano passado, por esta altura, estávamos a embarcar numa das viagens da nossa vida, este ano tivemos que ficar por cá.

Vila Viçosa  já é a nossa vila alentejana de coração, e portanto, decidimos que íamos lá passar o final de semana prolongado a que o nosso aniversário por norma dá direito. Rumámos ao hotel mais lindo de todos e passámos os três dias, literalmente, a comer, a dormir e a beber bom vinho. O João iniciou-se há pouco tempo nas artes da degustação de vinho, mas começa a apreciar, o que é ótimo.

Desta vez, como tivemos uma celebração ao jeito cigano - portanto, que durou três dias, tendo começado no dia 24, com as famílias - o primeiro vinho a ser aberto foi um igual ao que bebemos no dia do nosso casamento: Cerejeiras 2010, Colheita Seleccionada. É ótimo, da minha zona, e com um preço mais do que justo. Se ainda não provaram, por favor, comprem uma garrafa e bebam. Vale bem a pena. Sobretudo se estiverem entre amigos.

Na sexta-feira, dia 25, depois de uma viagem passada ao som da banda sonora do 25 de Abril, voltámos ao nosso querido restaurante e o Sr. Manuel Camarinhas voltou a saber escolher o melhor vinho para nós. Ali o vinho é sempre da casa, e é sempre da região. Bebemos um vinho absolutamente fantástico, maduro, escolhido pelo dono do restaurante. Foi uma garrafa para dois. Well done!


No dia 26 de Abril, o dia em que realmente celebrávamos um ano de casamento, não conseguimos jantar na Taverna dos Conjurados, porque estava reservado há quatro meses - o que nos deixou absolutamente tristes - mas muitas recomendações levaram-nos até ao fantástico São Rosas, em Estremoz. Aí, a acompanhar as bochechas de vitela e o borrego, experimentámos um Herdade das Servas de 2011, colheita seleccionada. Suminho, meus amigos. Uma coisa absurdamente boa. E no dia 27, antes de virmos embora, fomos redimir-nos. Voltámos à nossa querida Taverna para almoçar e o Sr. Manuel serviu-nos um dos melhores vinhos que bebi até hoje: um vinho em fim de vida, colheita de 2005, não faço ideia de onde (nunca sei!, o Sr. Manuel escolhe sempre o vinho para nós!).Nunca vi o João a beber vinho com tanto gosto.

Moral da história: se continuar neste ritmo, defenderei lindamente a tradição do meu pai de apreciar bons e variados vinhos alentejanos. E a nossa viagem para o Verão já está pensada: Vila Viçosa que nos aguarde!!


Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo