terça-feira, 6 de maio de 2014

Padrinho*

A meio da tarde olhei para a data e de repente o meu cérebro fez 'click'. Passaram exatamente treze anos - caraças, treze! - desde aquele dia em que disse "sim, senhor, tenho a certeza de que sou católica e que quero continuar a ser". Quando penso nisso aperebo-me de que lhe dou muito mais importância agora do que quando decidi receber mais um sacramento. Mas creio que isso é coisa da idade.

Escolhi para meu padrinho aquele que era, na altura, mais do que um amigo, um irmão. A vida afastou-nos por um tempo, mas hoje sei que não poderia ter escolhido outra pessoa para me acompanhar neste compromisso. Tal como sei que a vida nos volta a juntar às pessoas que nos são realmente importantes.

Com o Miguel cresci - caramba, já nos conhecemos há quê? Uns quinze anos? - e aprendi imensa coisa. Pisei palcos de teatro, partilhei microfones, camarins e com ele dei das melhores gargalhadas da minha vida. Ele foi meu amigo, meu irmão mais velho, meu companheiro de viagens, parceiro de aventuras e desventuras. Por isso, acho que hoje também me lembrei do dia do meu Crisma, porque me lembrei a falta que ele me faz. [Portanto vê se marcas o jantar de uma vez por todas;)]

E devo-lhe um obrigada. Imenso. Porque com ele aprendi, sobretudo, a sorrir sempre para a vida - isso e a decorar peças inteiras para lhe poder das as deixas em palco :)

Festival 2007
(Andei à caça de fotos, mas nós somos amigos dos tempos em que ainda não havia telefones com câmaras ótimas e muito menos o hábito de tirar mil fotos por dia. Portanto tive que me contentar com esta, cortar o Rodolfo - desculpa, puto, mas hoje não é sobre ti - que tem cerca de sete anos. Estamos bem conservados! :)



Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo