quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Como um mantra


Por entre noites e dias, falas-me no silêncio do coração. 

Pedes mais um pouco de vida, a certeza gravada no olhar. 

E quando no imenso caos outras vozes chamam por mim, 

eu recordo, claramente, e volto a conseguir erguer-me. 


E é no fundo do meu ser, 

no mais profundo da alma, 

que sei que és o único caminho 

e me entrego à Tua certeza.


[2011]

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo