terça-feira, 3 de março de 2015

Counting down -26

Nunca fui dada a fazer desporto. Nunca. A minha mãe começou por me pôr na ginástica - a minha imrã do meio foi ginasta de competição. Eu fui uma anedota. Andei lá uns anos porque fazia bem e tinha amiguinhas e além disso podia usar maiôs giríssimos (NOT). Mas era uma nódoa, a bem dizer.

Na escola, a minha nota a Educação Física só subiu para um aceitável 4 quando tivemos natação. Nadar era uma coisa que até conseguia fazer, e nadei durante alguns anos, também levada pela minha mãe. Quando saí de lá nadava quase 1500 metros por aula, oque significa que o Phelps poderia ter um problema se eu tivesse continuado.

Depois houve aquele ano de 2001 ou 2002 (ou ambos, já não sei), em que com a querida Francisca iniciámos um programa intensivo de treinos. Todos os dias - TODOS - corríamos 30 minutos e fazíamos 30 minutos de exercícios localizados. Era-nos indiferente se estava a chover, um sol de torrar, se era as 7h da manhã ou às 20h. Não era negociável. Ficámos umas brasas nesses Verão, por acaso. Mas a muito custo, muito refilanço, e com um esforço que só foi possível porque era partilhado. Eu sempre odiei de morte fazer desporto.

Na faculdade ainda me inscrevi nuns três ginásios. Falhei miseravelmente o objectivo de lá andar mais do que três meses. Nunca senti aquela necessidade, aquela adrenalina de que toda a gente fala. Nunca! Experimentei várias modalidades e nada. Tudo é horrível.

Para não ajudar, eu não tenho tendência para engordar. Verdadeiramente. Engordo, como é óbvio, mas tenho noção de que há pessoas que se comessem o que eu como, ficariam obesas ao fim de pouco mais de um mês. E isso também não ajudou a convencer-me a fazer desporto.

Até que chegou Janeiro de 2015, e com ele a lembrança de que vou fazer trinta anos. Eu tento não estar nervosa com isto, mas estou. É que agora já não me basta fechar a boca aos hidratos durante duas semanas para perder 2Kg. Agora já se acumula gordura na barriga (SEMPRE na barriga), nas pernocas...enfim! Para além de que, apesar de eu normalmente ter uma alimentação saudável, sou menina para comer três pizzas numa semana, se houver uma urgência. Ou para jantar queijos, enchidos e vinho. O que não é lá muito porreiro para a saúde, no geral.

E portanto, não foi uma resolução de ano novo, mas foi uma resolução de "a dois meses dos 30". Preciso de me mexer. Eu passo muito tempo dos meus dias, quase todos os dias, sentada. Antes andava de transportes e portanto ainda caminhava alguma coisa, agora ando de carro de porta a porta. Senti-me a inchar e a sentir que a minha saúde não gostava.

Não vou ficar uma Giselle Bundchen. Adorava não ter barriga, mas não me esforçarei por isso. Não me está no sangue. Mas tenho-me esforçado, herculeamente, por ir nadar duas a três vezes por semana. De 100 em 100 metros já estou a nadar o dobro do que na primeira aula. Devagarinho. Sem pressão, mas aumentando o ritmo, para não desistir mas também para fazer algum bem.

Aos quase 30 tenho que ser uma pessoa responsável. Se isso implica acordar a resmungar para me ir enfiar dentro de água...well!; que seja. A ver se deixo de sentir os 30 no sangue :)

3 comentários:

  1. É assim mesmo. Eu acho que cada um se deve virar para uma atividade que realmente goste, caso contrário não há resultados.
    Este ano também faço 30. Mas ainda falta muuuuiittto!

    ResponderEliminar
  2. Já eu, se não fosse a vida no geral e o pouco tempo no particular, era menina para passar três horas por dia no ginásio, a correr e a puxar ferro... Enfim... vides!

    ResponderEliminar
  3. Pois eu até gosto de ir ao ginásio mas tem de ser 1h30 no máximo...
    Mas depois vejo os resultados e adoro :D

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo