segunda-feira, 20 de março de 2017

De perder a cabeça

Lisboa está de se perder a cabeça.  A sério, não é possível, não são possíveis os preços que se andam a praticar na cidade. T1 a 1000 euros porque "estão totalmente remodelados"; T2 decrépitos a 800 euros "numa zona calma e com estacionamento"... E estou a falar fora do centro, porque se começar a olhar para Alvalade, Avenidas Novas and so on, as coisas descambam até preços que tenho vergonha de proferir.

A sério? I mean: a sério? Uma amiga disse-o assim de rajada e eu nem sequer tinha pensado na comparação, mas realmente é verdade. Estamos num dos países onde pior se ganha na Europa - sim, sim um salário médio é de 838 euros por mês, uma fortuna - com casas ao preço de Paris. Para além de quem já começa num degrau acima - com casas de família, uma casa oferecida pelos pais que pode arrendar ou afins - gostava sinceramente de saber quem consegue pagar os preços que andam a pedir por casas que nem deviam ter este nome.

Numa conta rápida, pensando num casal que, na loucura ganhe 2.000 euros por mês (sabem quantas pessoas NÃO ganham isto? Pois, a maioria), pagar 800 euros de casa implica uma taxa de esforço de 40% - sabemos que esta deve ser 30%, não sabemos? O que significa que se por acaso o senhorio decidir aumentar a renda todos os anos, mesmo segundo a inflação, ou se uma despesa de água ou luz ou gás aumentar, esse mesmo bom casal se vê aflito para pagar a renda. Certo?

Nem vou falar de uma pessoa sozinha - não sei sinceramente como conseguem. Mas acho absolutamente surreal o que se anda a passar. E acho surreal que pouca gente ache isto surreal - sei de um caso, concreto, em que um apartamento que está a ser arrendado por 550 euros vai chegar ao mercado, daqui a uma semana, por 750 euros...a sério!, sou mesmo só eu que acho isto surreal?

Tudo bem, podem dizer-me que devíamos todos ganhar melhor - lá está, se tivéssemos salários de Paris, não me estava a queixar -, mas uma vez que também pouca gente se insurge quanto a isso, não acham mesmo surreal andar a pagar um salário por casas que não passam de cubículos? Ah, desculpem, não vos disse que as  casas com ar de casas estão ainda mais caras que aquelas que referi? My bad...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo